Nota de repúdio ao machismo na UFC

algaravia-2
Aquarela de autoria do Prof. Cláudio Rodrigues (UFC)

Por duas ocasiões em assembleias gerais da ADUFC, só neste mês de novembro, duas professoras sofreram assédios machistas de colegas da UFC. Na primeira ocasião, um professor tentou várias vezes agredir fisicamente uma colega e teve de ser impedido pelas pessoas próximas. Na segunda, outro professor assediou ostensivamente uma colega, acusando-a de esconder cartões de votação na roupa, sem qualquer evidência razoável. Foram duas situações absolutamente lamentáveis, regressivas e claramente misóginas. Com esta nota, gostaríamos de nos solidarizar com as colegas, reconhecer que ainda há um longo caminho a percorrer para vencer o machismo na universidade e na sociedade e repudiar o comportamento regressivo dos colegas. A universidade precisa promover espaços de esclarecimento e conscientização entre a comunidade universitária, em todos os campi, para evitar que situações lamentáveis como essas se repitam. O avanço no conhecimento científico deve se fazer acompanhar dos avanços contemporâneos em consciência e convivência social.

 

Fortaleza, 21 de novembro de 2016

 

Coletivo Graúna – Professores por uma educação democrática

Anúncios

“Construindo resistência e esperança” – Nota sobre a greve dos professores das Universidades Federais do Ceará

ato10
Aquarela de autoria do Prof. Cláudio Rodrigues (UFC)

A Assembleia Geral dos Docentes das Universidades Federais do Ceará, realizada no dia 18 de novembro, decidiu pela deflagração de greve por tempo determinado, até dia 13/12, data em que está prevista no Senado Federal a votação final da PEC 55.

A assembleia anterior já havia aprovado o apoio à greve dos estudantes, deflagrada em 03/11, e às ocupações. Com os dois outros segmentos universitários em greve, estudantes e servidores técnico-administrativos, os professores agora reforçam o movimento contra as medidas antissociais do governo ilegítimo de Michel Temer.

Nacionalmente, vinte e sete universidades federais entram em greve esta semana. Mais de setenta estão ocupadas. O movimento de rejeição à PEC 55 e o sentimento de urgência crescem a cada dia nas universidades e na sociedade em geral. Continuar lendo

Nota de apoio à greve estudantil e às ocupações

img-20161117-wa0000

“Quando a tirania é lei, ocupação é ordem”

No dia 03 de novembro de 2016, mais de mil e quinhentos estudantes da Universidade Federal do Ceará lotaram a Concha Acústica numa demonstração de força e coragem para enfrentar o desmonte da educação pública, proposto pelo governo ilegítimo de Michel Temer através da PEC 241 (agora PEC 55 no Senado), da Reforma do Ensino Médio e da Lei da Mordaça. Naquele dia, estávamos, alguns professores, como espectadores e nos aglomeramos nas arquibancadas, animados com a diversidade de perspectivas apresentadas pelos jovens que discursavam. Aplaudimos e admiramos as convicções ali demonstradas. Continuar lendo

De lutas e esperanças

Temos vivido, nos últimos meses, rápidos e sucessivos ataques aos direitos conquistados ao longo do século XX. À proporção que tomamos conhecimento do teor das medidas do governo ilegítimo, acolhidas vergonhosamente pelo Congresso Nacional e o STF, nos convencemos da necessidade de intervirmos — de maneira coletiva e organizada — em decisões que afetarão nossas vidas por 20 anos. A Assembleia Geral do dia 11/10 aprovou o plebiscito sobre greve com um grande sentimento de urgência, deliberando também pela realização de reuniões setoriais nos vários campi, antes da votação.

A Diretoria da ADUFC não encaminhou as reuniões setoriais com os docentes, assim como também não se pronunciou sobre o ataque do STF ao nosso direito de greve, a poucos dias do plebiscito. Preparou a votação em completo silêncio e a realizou em meio a denúncias de irregularidades. Na assembleia de homologação (04/11), levou uma boa parte dos colegas a pensar que a não homologação do plebiscito significaria automaticamente deflagração da greve. Continuar lendo