Homenagem ao prof. José Albuquerque Rocha, da Faculdade de Direito da UFC

Por Newton Albuquerque (Faculdade de Direito – UFC)

O peso da ausência de pessoas queridas, amadas, desafia essa matéria etérea do tempo, pois o tempo parece estar gravado em nós. Contudo, torna-se ainda mais pronunciado quando além da perda privada de nosso amigo, mestre, a ausência presente ultrapassa-nos, atingindo muito além dos integrantes do círculo íntimo de familiares, amigos.  Afinal, Rochinha era daqueles “repúblicos”, que buscavam motivação naquilo que os gregos chamavam de vida comum, notadamente em relação a vida e destino dos trabalhadores, dos desprovidos, dos proletários. Continue lendo

Anúncios

ASSEMBLEIA DOS DOCENTES DA UFC NO DIA DE PARALISAÇÃO NACIONAL

fb_img_1474645763007

Na manhã de ontem (22 de setembro), dia de Paralisação Nacional, os jardins e o auditório da reitoria da UFC receberam, respectivamente, servidores técnico-administrativos e professores.

Num auditório completamente lotado de professores e alunos, vários colegas se pronunciaram a respeito da necessidade de permanente mobilização frente aos retrocessos impostos pelo governo ilegítimo porque golpista. Algumas falas apontaram isso com mais ênfase. Continue lendo

RELATO DA ASSEMBLEIA GERAL DA ADUFC EM 14/09 E CHAMADA PARA A LUTA

Ontem pela manhã tivemos Assembleia Geral da ADUFC no auditório do Centro de Ciências do Pici. Foi apresentado o abaixo-assinado dos docentes na discussão da pauta e foram incluídos os pontos da análise de conjuntura e encaminhamentos. Fizemos uma boa discussão sobre o momento político atual, os retrocessos do golpe, a legislação que retira direitos, a portaria 3131, a atuação desmobilizadora da atual diretoria do sindicato e a importância da unidade da categoria na luta. Continue lendo

CARTA ABERTA À COMUNIDADE CEARENSE

A universidade que tem medo de confetes

O golpe antipopular, antidemocrático e antinacional efetivado no país começa a incidir nos mais variados espaços institucionais, em um flagrante ataque aos direitos, aos fundos públicos e aos serviços sociais previstos na Constituição de 88. No âmbito das universidades públicas, mais particularmente da UFC, já podemos verificar a repercussão de seus efeitos nos diferentes eixos e atividades de atuação junto à sociedade. Um ataque que se inicia paulatinamente, mas aprofunda-se, numa clara intenção de desmonte, quando não de privatização, inclusive do funcionamento de suas estruturas físicas. O alegado argumento, utilizado pela Administração Superior da UFC desde 2015, quando da greve dos professores (“Resposta da UFC à pauta de reinvindicação dos docentes”, 14/09/15), acerca da presumida necessidade de tomar medidas que viabilizassem o equilíbrio das contas da universidade contrasta com o aparente quadro em que se encontra nossa instituição, segundo as notícias veiculadas pelo portal da UFC. Destacamos quatro delas: Continue lendo